Conheça a Síndrome TDAH

 

Rotulados por pessoas desatentas, hiperativas ou impulsivas, alguns profissionais podem sofrer de um transtorno que muitas vezes desconhecem. Trata-se do Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), que se caracteriza pelo descuido nas atividades, falta de organização, dificuldade em manter a concentração e atenção. Inquietude e hiperatividade são apenas alguns dos sintomas típicos em adultos.

 

O TDAH é mais comumente diagnosticado em crianças, mas, em boa parte dos casos, essas pessoas crescem sem saber que a possuem. Por ser um distúrbio ainda cercado por dúvidas e incertezas, muitos adultos passam a vida sem descobrir e, assim, têm o seu tratamento prejudicado pela falta de orientação adequada.

 

Relacionando o problema ao ambiente profissional, é fácil compreender porque certas pessoas têm dificuldades em realizar algumas tarefas e, por isso, o diagnóstico correto e  tratamento adequado podem fazer a diferença. Para isso, é importante, se houver dúvida, procurar um médico especializado (psiquiatra ou neurologista), que poderá avaliar e, se comprovada, promover melhora significativa nas relações interpessoais com colegas, familiares e amigos.

 

No entanto, o profissional pode ficar atento a alguns sinais de alerta, como:

 

  • Rendimento abaixo da capacidade intelectual;
  • Falta de foco, atenção e dificuldade de seguir rotinas;
  • Dificuldade em planejar e executar as tarefas;
  • Frequentes esquecimentos, perdas e descuidos para datas e reuniões importantes;
  • Dificuldades para expressar suas ideias, colocar em prática o que está pensando;
  • Intolerância a situações monótonas e repetitivas;
  • Dificuldade para escutar e esperar a sua vez de falar, ou mesmo, manter-se em filas.

Compliance: qual a sua importância?

 

Cada vez mais presente nas empresas, o Departamento de Compliance está se tornando indispensável ferramenta para assegurar a transparência e as melhores práticas dentro das organizações. Traduzida do termo inglês comply, que significa agir de acordo com as regras, o compliance pode ser definido como a atividade que tem como objetivo manter a organização em conformidade com leis, normas e regulamentos externos e internos.

 

Essa área mantém a importante missão de assegurar a ética e a boa conduta da empresa e de seus funcionários. Atenta à importância da prática, a Santillana Brasil está implantando o sistema de Compliance como apoio para a gestão dos negócios. De acordo com a gerente jurídica, Eunice Anoardo Molefas Nunes, a empresa enfrentava alguns desafios no relacionamento entre seus colaboradores e também com os demais públicos envolvidos antes da implantação. “A ausência do compromisso formal e treinamento dos colaboradores, prestadores, parceiros da empresa, facilitavam o descumprimento das normas internas e, sem o canal de comunicação, fatos e atos poderiam ser presenciados e não comunicados”.

 

Mas, a partir da implantação do compliance, a empresa percebeu ganhos e passou a otimizar seus processos. A gerente jurídica enfatiza: “Com a criação de um canal de comunicação, os colaboradores, prestadores de serviços, clientes, fornecedores e todas as pessoas que mantém relacionamento com as empresas da Santillana Brasil poderão fazer denúncias, sanar dúvidas ou apresentar sugestões e receberão respostas, além de melhorar a reputação da empresa no mercado perante clientes e fornecedores”.

 

Em contrapartida, para o sucesso da atuação da área em qualquer empresa, é preciso o comprometimento de todos os colaboradores e também da empresa, para seguir os valores e as normas definidas, zelando sempre pela imagem da companhia. Para isso, o primeiro passo é criar uma estrutura adequada, como alerta Eunice: “É necessária a formação de um grupo de trabalho que aprenda/entenda o que é o compliance, qual a importância para a empresa e para seus colaboradores e parceiros”, declara.

 

Dessa forma e apoiadas neste sistema, que visa ao cumprimento das normas internas e externas criando procedimentos de orientação, prevenção e tratamento de desvio de condutas ou práticas ilegais, a empresa só tem a ganhar. E, para isso, basta manter-se firme nesse propósito e, fundamentalmente, investir na comunicação como importante aliada para o engajamento de todos os colaboradores.

Excelência no atendimento às áreas internas

 

Assim como na engrenagem de um carro em que todas as peças devem funcionar, uma auxiliando a outra para que o veículo se locomova, o mesmo acontece no dia a dia de uma empresa. Grandes ou pequenas organizações, seguindo a referência, são engrenagens que devem e precisam trabalhar em harmonia, para o bem da organização, bem como de todos os colaboradores e clientes envolvidos.

 

Mas, em algumas empresas, esse conceito de excelência no atendimento aos clientes internos não acontece e pode trazer resultados negativos para o negócio. Isso porque muitos profissionais não valorizam a importância do bom relacionamento entre as áreas. Para alguns, o recebimento de um e-mail com uma solicitação pode ser motivo de desentendimento, o que, naturalmente, pode prejudicar a execução das tarefas.

 

Um exemplo positivo da valorização ao atendimento interno às áreas, é o da Santillana Brasil, que investe no relacionamento entre os departamentos como forma que conquistar melhores resultados. Prova disso, é o olhar do Handel Vergari, auxiliar de compras da Santillana Brasil, para as demandas no seu departamento. Para ele, o diferencial para o bom atendimento do cliente (interno ou externo) é ter empatia, reconhecer a necessidade legítima e manter a postura de buscar uma solução rápida e eficaz. “É mais fácil e saudável conviver em harmonia com seu vizinho do que com brigas constantes. Da mesma forma, se o cliente é bem atendido sua relação com a empresa é positiva e mais proveitosa para ambos”, enfatiza.

 

A partir dessa prática de sucesso da companhia, nota-se que, quando cada setor da empresa se integra às suas atividades e oferece atendimento de qualidade às demandas internas, surge uma cadeia de excelência, que pode ser percebida desde a fabricação do produto até o resultado final.

 

Mas para obter sucesso nesse relacionamento entre as áreas, o profissional da Santillana deixa algumas dicas que podem fazer a diferença e trazer bons resultados. Confira:

 

  • O cliente é uma pessoa única, com habilidades e limitações, por isso, tratar a todos de forma padronizada e impessoal, não é o mais adequado.
  • Durante o atendimento, o profissional torna-se a imagem da empresa. Procure perceber qual imagem está transmitindo ao cliente e que suas atitudes e emoções representam a empresa como um todo naquele momento.
  • “Respeito acima de tudo.” Atendemos pessoas e não apenas resolvemos problemas.

Série: Cuidados na Empresa – Você conversa demais no trabalho?

 

É comum que, com a proximidade dos colegas de trabalho, que o ambiente profissional seja palco para outros assuntos não relacionados às funções. No entanto, algumas pessoas acabam extrapolando os limites e passam boa parte do tempo conversando sobre assuntos não ligados ao trabalho e, com isso, comprometem a produtividade.

 

Quando a conversa é demais, a pessoa pode prejudicar os colegas ou, em último caso, criar motivo para demissão. Uma conversa informal e breves paradas para um bate-papo podem ser benéficas, em termos de colaboração, geração de novas ideias, criando confiança e aumentando a produtividade. Em contrapartida, se forem em excesso, além de causar incômodo e distração para os colegas, pode também comprometer os resultados.

 

Naturalmente, calar-se e não interagir também não é uma boa forma de agir, por isso é fundamental ter bom senso, saber identificar os melhores momentos para conversar e, assim, equilibrar a vida social e a profissional, de forma mais saudável. A linha que separa integração e dispersão é bastante sutil. Assim, cabe ao profissional unir o foco no trabalho e na socialização como forma de aumentar resultados.

 

Conversar faz parte das características humanas, no entanto, é preciso estabelecer certos limites no local de trabalho. Veja:

 

  • Se algum colega se excede no bate-papo, cabe ao profissional pontuar e impor limites.
  • O profissional deve estar atento e perceber quando e onde iniciar uma conversa.
  • Dê preferência para as conversas no espaço do café ou, se houver, numa área de convivência.
  • Permita-se conversar, mas avalie seus prazos e as tarefas a serem cumpridas, para não prejudicar os resultados.

Prepara-se: feliz 2017!

 

Para muitos profissionais, o réveillon é a oportunidade para rever objetivos e traçar novas metas. O termo é amplamente divulgado para descrever a festa de passagem de ano, mas ao buscar sua definição no sentido etimológico, a palavra, que tem origem no verbo em francês réveiller, significa "acordar" ou "reanimar" (em sentido figurado). Assim, o termo pode ser definido como “o despertar do novo ano”, e adequado para traduzir as expectativas que as pessoas colocam nessa data.

 

Nada mais justo, uma vez que a iminência de um novo ano traz consigo a esperança de dias mais felizes,  projetos bem-sucedidos,  evolução profissional e material. Mas, para conquistar bons resultados, há de se construir planos e, mais do que isso, ter coragem para sair da zona de conforto e seguir em frente. Nesse sentido, investir em metas e estratégias para o cumprimento dos objetivos é um importante caminho que pode conduzir ao sucesso.

 

Para isso, é fundamental que o profissional que deseja crescer na carreira faça um planejamento, trace objetivos e, periodicamente, prepare um balanço das metas. Importante também é avaliar onde  está e aonde pretende chegar, em um exercício que, naturalmente, exige bastante reflexão, pois muitas vezes exige mudanças de atitude.

 

Determinado em mudar e aproveitar as energias de um novo ano, o profissional pode investir em algumas dicas que o ajudarão a buscar seus objetivos e, consequentemente, obter sucesso. Confira:

 

  • Defina suas metas para o próximo ano com clareza e riqueza de detalhes. Por exemplo: conquistar uma promoção no trabalho ou trocar de carro.
  • Anote as estratégias que serão usadas para chegar aos objetivos. Isto é, caso o objetivo seja a promoção no trabalho e a falta do domínio do inglês pode dificultar esta meta, então, o profissional deve investir num curso como forma de alavancar seu currículo e, naturalmente, ter mais chances de concorrer à vaga.
  • Se necessário, ao longo do ano, refaça os planos e reveja as estratégias.
  • Mantenha o foco nas metas e, ao perceber que está se distanciando, retome e veja o que é preciso fazer para conquistar o objetivo.