Poesia de pai pra filho

 

A poesia no Brasil pode ser considerada uma das mais ricas do mundo, haja vista a grande quantidade de poetas famosos no país. E para difundir a poesia e a linguagem literária, a data de 14 de março foi escolhida por um motivo nobre - homenagear um dos maiores poetas brasileiros - Antônio Frederico de Castro Alves. Nascido na cidade de Curralinho (BA), Castro Alves foi considerado um dos mais brilhantes poetas românticos, responsável por uma nova concepção de amor na Literatura.

 

A herança deixada pelos poetas é incomensurável, e pode ser definida pela manifestação mais íntima dos sentimentos. Em outras palavras, a poesia está em quem a sente, em sentido amplo, ela não pode existir sem alguém que a sinta realmente.

 

Foi exatamente esse sentimento que o colaborador Lourenzzo Amaral Dairel Madureira, Consultor Comercial (DF), traduziu ao compartilhar uma poesia elaborada por seu pai, o Sr. José Maria Ferreira Madureira. E o momento não poderia ser melhor, ao receber o prêmio de Melhor Desempenho como Generalista de Literatura do Distrito Federal, durante a 37ª Convenção Comercial, Lourenzzo declamou a poesia que recebera de presente de seu pai. A emoção tomou conta de todos e a poesia você pode conferir neste fragmento de sentimentos do Sr. José Maria, inspirado em poetas como Fernando Pessoa, Thiago de Melo, Guimarães Rosa, entre outros. Aprecie!

 

" Escrevo essa canção por que é preciso,

Se não a escrevo, falho com um pacto que tenho abertamente com a vida.

É preciso fazer alguma coisa para ajudar o homem.

É preciso fazer alguma coisa para ajudar o homem.

Não sei se sinto de mais ou de menos, e seja como for, era melhor eu não ter nascido.

Porque de tão interessante que são todos os momentos, a vida chega a doer, a enjoar, a roçar, a ranger,

a dar vontade de dar gritos, de dar pulos e de ficar no chão.

Cruzo os braços sobre a mesa, ponho minha cabeça sobre os braços, é preciso querer chorar,

mas não sei como ir buscar as lágrimas, e por mais que eu me esforce por ter uma grande pena de mim, não choro.

Tenho a alma rasgada sobre o indicador curvo que lhe toca.

O que há de ser de mim?

O que há de ser de mim?

Fizeram um mendigo levantar-se sob o degrau aonde caíra,

Bateram na criança abandonada e tiraram-lhe o pão das mãos,

Oh mágoa imensa do mundo! O que falta é agir.

Somos o que somos, ou o que nos dizemos ser?

Amei e odiei como toda gente, e para toda gente isso foi normal e instintivo, para mim foi sempre a exceção.

Toda raiva de não conter isso tudo, de não poder deter isso tudo...

Oh fome abstrata das coisas, cio impotente dos momentos, orgia intelectual de sentir a vida.

Eu posso me olhar sem medo de me ver!!!

Já decidi não ajudar o engano.

Dói dizer, mas é preciso, poder rir...

Rir desesperadamente como um copo entornado.

Absolutamente doido só por sentir.

Absolutamente roto por me roçar contra as coisas.

Ferido na boca por morder coisas, com as unhas em sangue por me agarrar com essas coisas.

E depois...

Dei-me a cela que quiserem que eu me lembrarei da vida.

Eu sei por que canto!!!

Se raspas o fundo do antigo poço da tua ternura, acharás restos de água que apodrecem.

E é preciso fazer alguma coisa para ajudar o homem.

É preciso fazer alguma coisa para ajudar o homem!!!

Livrá-lo dessa sedução voraz.

Dessa engrenagem fria e organizada, que à todos os devoram a ternura.

O gosto de ser gente, o gosto de ser gente...

E de viver...

Ainda há tempo!!!"

 

Autor - José Maria Ferreira Madureira – pai do colaborador Lourenzzo Amaral Dairel Madureira da Santillana Brasil

Dia do Bibliotecário

 

Muito mais do que organizar os livros na estante, o bibliotecário é o profissional responsável por coletar, selecionar, processar, armazenar e distribuir as informações para que possamos chegar a uma biblioteca e encontrar o que precisamos.

 

Outra característica pouco conhecida é que os bibliotecários não atuam apenas no mundo dos livros, mas também, em outros sistemas que exijam uma análise sistematizada e organizada. Com o avanço da tecnologia, esses profissionais puderam agilizar o processo de captura das informações e disponibilizar com mais eficiência aos usuários.

 

Com cerca de 27 mil títulos impressos, além dos 53 mil objetos digitais e os 17 mil objetos da memória da empresa, a Editora Moderna tem à disposição de seus colaboradores um Centro de Informação e Documentação (CID). Neste importante departamento trabalha há 17 anos, Maryan de Fátima Leis Garcia, que é o exemplo vivo do grande amor a esta profissão.

 

Hoje, dia 12 de março, Dia do Bibliotecário, convidamos você a conhecer melhor Maryan, responsável pelo CID e que conta com o apoio de mais uma bibliotecária, três geógrafos, um jornalista, uma historiadora e de uma professora de língua portuguesa, para oferecer a melhor informação aos colaboradores da Editora Moderna. Confira a entrevista:

 

Conte um pouco da sua história, como surgiu o desejo de seguir por esta área profissional?

Eu sou do Nordeste e tinha uma vida muito difícil, inclusive sem acesso a livros. Quando jovem resolvi vir para São Paulo e morar com uma tia. Fui em busca de um emprego e neste primeiro trabalho existia uma biblioteca e eu fui convidada para trabalhar junto com a bibliotecária. Resolvi aceitar e comecei a tomar contato com os livros, e com a convivência diária eu passei a gostar e resolvi estudar biblioteconomia. Naturalmente a vida me levou por este caminho. Até que tive a sorte de ver um anúncio para um estágio na Editora Moderna, me candidatei e estou até hoje aqui.

 

Conte sobre o seu dia a dia no CID, o que mais lhe encanta neste importante trabalho realizado na Editora Moderna?

No geral, as pessoas acham que bibliotecário só trabalha com livro. Nosso segmento é muito amplo, pois trabalhamos com a informação, com a sistematização desta informação independente do suporte da mídia, pode ser livro e objetos digitais. De fato, meu trabalho é rotineiro, é técnico, mas ao mesmo tempo o acervo da Editora Moderna é muito dinâmico. Eu sou uma privilegiada, pois trabalho com a informação, com revistas, livros, e agora com o acervo digital. Mas o que é mais rico são as pessoas, a troca de conhecimento e a oportunidade de aprender com elas é maravilhoso.

 

Como você define o trabalho do Bibliotecário?

O bibliotecário está em diversas áreas, porque ele é um organizador, um disseminador da informação. Mas para você ter acesso a informação, alguém precisa organizar, sistematizar, e é isso que fazemos. Costumo comparar o meu trabalho com o do Jardineiro, pois eu estou cultivando e arrumando esse jardim de conhecimento e informação.

 

Como é a estrutura do CID?

Nossa biblioteca é mista e possui todo o acervo do grupo, incluindo o acervo digital, impresso e histórico, e agora o Portal da Moderna onde nós estamos catalogando os objetos digitais. Possuímos o registro no CRB (Conselho Regional de Biblioteconomia) e seguimos as normas exigidas. Contamos com uma equipe multidisciplinar, muito focada e detalhista para que não ajam falhas. 

Dia Internacional da Mulher

 

O dia Internacional da Mulher tem muitas origens, todas com os mesmos intuitos: o de reivindicação por melhores condições de vida e de trabalho.

 

Uma das muitas histórias conta que, no dia 8 de março de 1857, operárias de uma empresa de tecidos em Nova Iorque, nos Estados Unidos, fizeram greve geral, ocupando a fábrica para reivindicar redução na carga horária de trabalho, equiparação salarial com os homens que executavam as mesmas tarefas e, principalmente, um tratamento mais digno no ambiente de trabalho. Com violenta repreensão, essas mulheres foram trancadas na fábrica, a qual foi incendiada, levando a morte de 130 tecelãs. Em 1910, em uma conferência na Dinamarca, decidiu-se pela homenagem a essas mulheres. E só em 1975 a Organização das Nações Unidas – ONU oficializou a data que hoje é comemorada com tanto orgulho feminino.

 

Parabéns mulheres!

Grupo Santillana entre os 30 melhores livros infantis

 

 

O prêmio anual da Revista Crescer, Prêmio 30 Melhores Livros Infantis do Ano, escolheu em 2014 três livros do Grupo Santillana Brasil para compor o quadro de melhores livros infantis do ano.

 

O prêmio ocorre todos os anos, onde especialistas em literatura infantil enviam para a Revista Crescer uma lista dos livros lançados no Brasil no ano anterior. Lá, eles fazem um cruzamento dos dados das obras que também são passados por um corpo de jurados, e escolhem os 29 melhores livros infantis. O 30o livro é escolhido pelo público no site da Revista.

 

Os livros: “Amarilis” de Eva Furnari da Editora Moderna, “Listas Fabulosas” também de Eva Furnari e da Editora Moderna e “O incrível menino devorador de livros” da Editora Salamandra, estão entre os escolhidos.

 

O Grupo Santillana Brasil parabeniza os autores e profissionais envolvidos na produção dessas obras e agradece a oportunidade de fazer parte desse sucesso!

 

Site Revista Crescer - http://revistacrescer.globo.com/Infograficos/noticia/2014/06/os-30-melhores-livros-infantil-do-ano-2014.html

Imposto de Renda 2015 – Chegou a hora!

 

Entre os dias 2 de março a 30 de abril, o contribuinte brasileiro terá o prazo para entregar a declaração do Imposto de Renda 2015. Assim como todos os anos, a Receita Federal aconselha os usuários a declararem o quanto antes, para assim, garantirem a restituição ainda no primeiro lote.

 

A declaração deste ano sofreu uma correção de 4,5% em relação ao ano passado, e agora, passa a ser obrigatória para as pessoas físicas que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$ 26.816,55 em 2014. Há a obrigatoriedade na declaração aos contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja a soma tenha sido superior a R$ 40 mil no último ano.

 

O IR é obrigatório também para quem obteve, em qualquer mês de 2014, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito a incidência do imposto, ou realizou operações em bolsa de valores, de mercadorias e de futuros.

 

A forma de declaração continua sendo feita pela internet, com o programa de transmissão da Receita Federal (Receitanet), por meio do certificado digital online. Há ainda, a opção de utilizar o serviço exclusivo para tablet e smartphone. Assim como nos anos anteriores, não serão aceitas as declarações via disquete nas agências do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal.

 

Fique atento! O contribuinte que entregar a sua declaração depois do prazo ou ainda não declarar, estará sujeito a pagar multa de 1% ao mês ou de acordo com os dias atrasados da declaração, que será calculada sobre o total do imposto do IR, ou ainda, uma multa mínima de R$165,74. Por isso, antecipe-se e separe alguns itens básicos para a sua declaração, entre eles: Informes de Rendimentos (os emitidos pelos bancos, salário, aluguéis ou outras rendas), recibos de plano de saúde e de mensalidade escolar, e por fim, não se esqueça de anexar a declaração de imposto de renda emitida no ano anterior.

 

Para mais informações, acesse o site da Receita Federal e confira todos os detalhes - http://www.receita.fazenda.gov.br