Editora Moderna é sucesso na literatura de ficção e não ficção

 

A Editora Moderna, fundada em 1968 é líder de mercado no segmento de livros didáticos para escolas públicas e privadas. Mas, além disso, ela também produz livros paradidáticos, literatura de ficção e não-ficção. Somente em 2014 são até o momento 241 títulos, que representam 122 páginas produzidas/por dia útil. Um verdadeiro feito, se levarmos em conta a equipe enxuta, composta por 14 pessoas.

 

Os primeiro livros de literatura da Moderna foram publicados na Bienal do Livro de 1980. Entre os autores estavam Cecília Meireles, Giselda Laporta Nicolelis e Joel Rufino dos Santos. Os títulos eram “Olhinhos de gato”, “Um dono para Buscapé” e “O soldado que não era”. Obras que ainda estão em catálogo, com exceção do livro “Olhinhos de gato”, de Cecília Meireles.

 

Atualmente, o livro mais vendido da Editora Moderna é o aclamado “A droga da obediência” – de Pedro Bandeira. Outro destaque é o grande sucesso da coleção infantil da Peppa.

 

A Moderna possui um catálogo variado, que conta com a presença dos mais renomados autores de literatura infantil e juvenil brasileiros. Ao todo são cerca de 730 títulos lançados nos últimos dois anos.

 

Paralelamente, também do Grupo Santillana Brasil, a Editora Salamandra, fundada em 1980, se dedica à publicação de literatura e livros interativos para crianças, desde bebês até 12 ou 13 anos de idade. São cerca de 468 títulos publicados em 2013 e 2014 pela Salamandra.

 

Sempre em busca de novos caminhos para a excelência de suas publicações, em uma iniciativa inédita no mercado editorial brasileiro, a Editora Moderna firmou contratos de exclusividade com renomados autores brasileiros: Eva Furnari, Pedro Bandeira e Walcyr Carrasco. A Salamandra, por sua vez, conta com a prestigiada Ruth Rocha, criando assim um momento importante para a literatura brasileira infantil e juvenil.

 

Juntos, os catálogos de Literatura Infantil e Juvenil, das Editoras Moderna e Salamandra, constituem cerca de 1.198 títulos, um conjunto de leituras de qualidade que acompanham o leitor desde seus primeiros passos até sua formação.

 

Pedro Bandeira: ele é o cara!

 

Pedro Bandeira, um dos maiores autores da literatura infanto-juvenil, com mais de 80 obras lançadas, milhões de livros vendidos e incontáveis prêmios, relança em 2014, pela Editora Moderna, uma das suas séries de maior sucesso: “Os Karas”.

 

Lida e relida por inúmeros jovens e adultos, a coleção chega de cara nova e o autor ainda surpreende com o sexto livro da série, intitulado a “Droga da Amizade”. O novo livro dá continuidade as aventuras de “Os Karas”, 14 anos depois do lançamento da última obra.

 

Sucesso até hoje, Pedro Bandeira conta de onde veio a inspiração para os cinco livros da série “Os Karas”. “O primeiro livro tornou-se líder de vendas desde o seu lançamento em agosto de 1984. Imediatamente passei a receber cartinhas de leitores de todo o Brasil e muitos disseram ter adorado a Turma dos Karas  e pediam novas aventuras com esses adolescentes. Incentivado por eles e pela Maristela Petrilli, diretora editorial da Moderna, desde sempre a minha editora, planejei outras novelas”.

 

Para muitos, a melhor obra de Pedro Bandeira é “A Droga da Obediência”, com mais de 1,5 milhão de exemplares vendidos. O autor fala sobre o sucesso deste livro lançado há 30 anos e lido por várias gerações. “O espanto é que atualmente as vendas são maiores do que eram em seu lançamento! E mesmo tendo sido escrito em uma época em que ainda não havia computador pessoal, internet, Google, Facebook, Ipad, Ipod, nem telefone celular. O livro é avidamente consumido pela juventude de hoje. Tornou-se um clássico felizmente.”

 

“A Droga da Amizade”, obra tão aguardada do autor, mata a saudade dos fãs da série Os Karas, e Pedro Bandeira explica a preparação do livro. “A insistência dos leitores, agora menos com cartinhas e mais com e-mails, sempre pedindo novas aventuras da Turma dos Karas, estava difícil de ser atendida, principalmente devido a tantos progressos tecnológicos: se eu escrevesse um livro em que nossos heróis utilizassem celulares, internet, e-mails, redes sociais e coisas assim, eles não pareceriam os mesmos adolescentes dos livros anteriores, quando nada disso existia. Ao mesmo tempo, se eles lançassem mão dessa modernidade, nem pareceriam os Karas originais. Isso fez com que eu passasse algo como 12 anos iniciando aventuras, jogando enredos fora, começando outros, reescrevendo, corrigindo, voltando... E praticamente ficando à beira de desistir da sexta aventura. Até que encontrei uma bela solução: se o tempo havia passado para mim, para todo mundo, também havia passado para os Karas! Eles haviam crescido, eram adultos agora! E daí saiu “A Droga da Amizade”: os seis karas adultos, fizeram muita coisa importante em suas vidas e agora Miguel relembra o momento em que conheceu cada um deles, como uniu-se a Crânio, Calu, Magrí, Chumbinho, Peggy e o detetive Andrade e como viveu tantos perigos junto com eles, solidificando essa amizade que criou os Karas, o contrário dos caretas, o avesso dos coroas!”

 

O autor mantém uma estreita relação com seus leitores e conta o segredo de ser o maior escritor juvenil do Brasil. “Minhas relações com eles sempre foi e é a mais íntima possível. Olhem cada uma das dedicatórias dos meus livros. Quase sempre eles estão dedicados a leitores meus”.

 

Para finalizar, Pedro Bandeira enaltece a parceria com a Editora Moderna, responsável por relançar a coleção “Os Karas”. “Creio que um lançamento como esse não poderia ter sido feito do jeito primoroso como está sendo organizado se eu e a Moderna não estivéssemos tão juntos como estamos hoje. Eu e a Moderna esperamos que essa nossa filhinha de papel – “A Droga da Amizade” – seja abraçada por milhões de leitores brasileiros!”

Gincana Nutricional: quem perde, ganha!

 

Promovida pela Santillana, em parceria com a Sodexo, aconteceu na Editora Moderna, a Gincana Nutricional: quem perde, ganha!. Sob a coordenação da nutricionista Kelly Ribeiro, a competição saudável foi realizada durante o primeiro semestre de 2014 e teve como objetivo mudar os hábitos alimentares dos colaboradores.

 

A Gincana propôs um divertido programa de reeducação alimentar com duração de seis meses. A meta era reduzir o mínimo de 5% do peso inicial de cada participante. Quanto mais peso proporcional o participante perdesse, mais pontos ele ganhava.

 

Para participar do programa, os profissionais deveriam ser classificados como acima do peso, ou seja, com IMC (Índice de Massa Corporal) de no mínimo 25. Os participantes precisaram seguir algumas regras para não serem desclassificados. Eles não podiam faltar às consultas e aos encontros mensais, onde eram passadas as orientações de como perder peso.

 

“A ideia era que, por meio de uma gincana para estimular novos hábitos alimentares, eles levassem a sério a competição e alcançassem seus objetivos”, conta a nutricionista Kelly.

 

No final, o grande campeão foi o editor da Richmond, Henrique Zanardi. Competitivo e disposto a alcançar seu objetivo, ele frequentou a nutricionista, praticou atividades físicas e reeducou sua alimentação. “Hoje eu tomo mais água, modero a quantidade de alimento e, principalmente, aprendi que posso comer de tudo, basta balancear”.

 

O segundo colocado, Argeu Pereira, profissional de Tecnologia Educacional, mudou o modo de encarar a balança. “O que funcionou foi aceitar a obesidade como uma doença que precisa ser tratada, assim como quem tem miopia e precisa de óculos.”

 

Izabel Fukabori, editora de Literatura, conquistou o terceiro lugar e classifica a Gincana como uma motivação a mais. “A importância da ajuda de um profissional é essencial, porque ele é a base para iniciar um processo de emagrecimento com qualidade, além disso, adquirimos um aprendizado para a vida toda.”

 

Os três primeiros colocados da Gincana ganharam vale-compras de uma loja de artigos esportivos. Todos os participantes aprenderam a ter hábitos mais saudáveis, aprendizado que levarão para a vida toda.

Prazer em ser Moderna: o relato da colaboradora Dalva Fumiko

 

Dalva Fumiko é colaboradora da Editora Moderna há 34 anos. Funcionária do departamento editorial, ela conta que é uma alegria trabalhar na empresa, uma das maiores editoras do país, que desde 2001 integra o Grupo Santillana.

 

Assista:

 

Editora Moderna, líder consolidada em livros didáticos

 

A Editora Moderna, desde sua fundação, sempre figurou entre as principais empresas do segmento livro didático. Os mais recentes dados de mercado, referentes ao período que compreende o segundo semestre de 2013 e os primeiros seis meses de 2014, mostram que a Moderna mantém o primeiro lugar na distribuição de livros didáticos, regulares e matérias básicas.

 

Com 23,5% de participação de mercado nas escolas particulares e 25,5% nas escolas públicas, a empresa mantém a liderança em livros para o ensino. Se comparado com o período anterior (2012/2013), houve um crescimento de quase 6% da presença dos livros da Moderna nas escolas públicas.

 

Segundo dados oficiais, desde 2008 a Editora Moderna está em primeiro lugar na distribuição de livros didáticos para as escolas privadas e sempre se mantém entre as três principais editoras para o setor governamental.

 

Estruturadas em coleções que atendem à todas as disciplinas, as publicações da Moderna estão presentes no ensino fundamental e médio, em escolas de todo o Brasil.