Itens com a tag redes sociais .

Série: O acesso das redes sociais no trabalho

 

O acesso às redes sociais durante a jornada de trabalho tem sido uma prática comum em boa parte das empresas. Quer seja numa reunião de equipe ou mesmo durante as tarefas diárias, acessá-las já faz parte da rotina dos colaboradores. Longe de ser uma atividade positiva, a atitude tem efeitos negativos na eficiência e também no bem-estar dos profissionais.

 

Estudo realizado pelo professor de computação da Middle Tennessee State University, Stoney Brooks, comprova que acessar as redes sociais durante o horário de trabalho reduz a produtividade, inclusive dos colaboradores mais concentrados. A partir desse estudo, observa-se que ao investir pouco tempo que seja no acesso, seja pelo computador ou smartphone, o profissional tem mais dificuldades para retomar a tarefa, além de resultar em menos eficiência.

 

Além dos prejuízos causados à realização das tarefas, a prática pode ocasionar prejuízos à imagem do profissional, uma vez que, ao acessar constantemente as redes sociais, pode ser penalizado com advertências do gestor ou até mesmo com a demissão, em casos mais graves.

 

Por isso, o colaborador precisa estar atento à forma como se relaciona com a tecnologia, e utilizá-la a seu favor. Veja como é possível:

 

  • Use as redes sociais de forma mais consciente; mantenha-se no controle. Se notar que o hábito está exagerado, uma dica é desconectar e voltar a acessar quando concluir as tarefas.
  • Reserve um tempo para acessar as mídias sociais. Exemplo: pela manhã, antes de começar o expediente, ou no horário de almoço.
  • Silencie as notificações do computador, ou celular, dessa forma, você não se distrairá e manterá o foco nas atividades. 

Uso das tecnologias versus a produtividade

 

Um dos principais motores de uma empresa, a produtividade, tem sido ameaçada por um vilão no cenário corporativo: o celular. Indispensável para os dias atuais, o uso constante da tecnologia, principalmente do smartphone, tem causado impactos negativos a muitos colaboradores, que sem perceber, acabam perdendo horas de trabalho devido ao vício tecnológico. Além dos danos relacionados à produtividade, muitos profissionais passaram a apresentar problemas de saúde, pelo uso abusivo, entre eles, prejuízos à coluna cervical, síndrome do olho seco, insônia causada pelo uso antes de dormir, e outros problemas.

 

De acordo com pesquisas norte-americanas, as interrupções no trabalho comprometem 30% da capacidade de desempenhar atividades, pois a concentração é essencial para que o colaborador mantenha o foco. Desta forma, empresas têm investido na conscientização dos funcionários, uma vez que muitos gestores perceberam que proibir o uso não é boa opção. Isso porque, da mesma forma que o acesso à tecnologia pode trazer inovação e criatividade, o uso demasiado pode acarretar perda de foco e impactos nas metas.

 

Outro vilão da produtividade nas empresas tem sido o uso exagerado dos aplicativos de bate-papo via celular (WhatsApp, Viber e outros). Considerados importantes ferramentas de comunicação, esses canais deixaram de ser usados apenas para as questões particulares dos colaboradores e tornaram-se, agora, uma ferramenta de trabalho. Grupos são formados para tratar de assuntos corporativos, que muitas das vezes deveriam estar restritos a outros canais de comunicação interna. Por esta razão, é necessário ter cautela nesta prática.

 

Por ser uma tendência e o uso, uma realidade, cabe às empresas educarem seus colaboradores para o uso consciente do celular e definir algumas regras. Confira algumas sugestões:

 

  • Opte por deixar o celular no modo silencioso;
  • Crie espaços para o uso livre (área de convivência, café e demais locais);
  • Estimule o acesso em pausas programadas, e combine horários nos quais a demanda de trabalho é mais amena;
  • Em reuniões, evite levar o celular para não causar interferências;
  • Defina um limite de utilização;
  • Em atividades que exijam atenção máxima, o uso do celular deve ser restrito.

Internet: Não perca o Foco

 

Cada vez mais a Internet tem feito parte do cotidiano e criado nova forma de viver, trabalhar e se socializar. Além de entreter, revela-se uma poderosa ferramenta de aprendizado, com inúmeros benefícios e facilidades, desde que bem utilizada.

 

Da mesma forma que a rede pode contribuir com um universo de conhecimento, também pode dispersar e, em vez de excelente canal, passar a ser vilã. Naturalmente, estar informado e atento ao que ocorre no mundo é importante, mas a forma como a Internet será utilizada determina o tempo e resultado de uma pesquisa. Isso porque uma pessoa centrada usará a rede a favor de seu desenvolvimento pessoal e profissional, explorando os recursos de forma positiva e direcionada.

 

E para saber como explorar a Internet, sem perder o foco, confira algumas dicas:

 

• Reserve um tempo para as redes sociais e sites favoritos: definir um horário é fundamental, para não se dispersar.

 

• Durante a pesquisa: ao visitar um site, avalie se a página traz conteúdo relevante e, atenção, quanto mais links o direcionarem a outras páginas, mais distante você ficará da pesquisa.

 

• Seja disciplinado: determine um tempo médio para realizar cada tarefa, seja de pesquisa ou no momento de descontração. Assim, você se acostumará a agilizar seu serviço sem perder a qualidade.

Ambiente virtual, imagem real

 

As redes sociais causam a falsa impressão de imunidade. Basta ter um perfil em alguma das diversas mídias para perder a invisibilidade – muitas vezes, a sensação é irreal. As pessoas tendem a falar e se expor mais, causando o “efeito da desinibição on-line”, como chama o professor John Suler, da Universidade de Rider, em Nova Jersey.

 

Assim, é fundamental tomar alguns cuidados, ao criar um perfil, principalmente tratando-se do aspecto profissional. De acordo com estudo do CareerBuilder, site americano de recrutamento, cerca de 51% dos empregadores entrevistados disseram ter desistido de contratar um candidato após verificar suas postagens.

 

Algumas dicas simples podem evitar a exposição desnecessária, confira:

 

- Use ferramentas de privacidade: diversas redes sociais permitem alterar a privacidade e escolher quem pode acessar as informações.

 

- Pondere suas postagens: evite palavras chulas e agressivas, lembre-se de que o seu chefe ou futuro recrutador pode ler essa mensagem.

 

- Fotos desnecessárias: antes de publicar uma foto, pense se é realmente necessário. Fotos em situações constrangedoras podem causar danos à sua imagem profissional.

 

- Escolha bem as palavras: se a comunicação oral já causa mal-entendidos, imagine a escrita. Escolher as palavras é essencial para que a mensagem seja entendida claramente.

 

- Linguagem adequada para cada mídia: Cada rede social tem suas particularidades. O LinkedIn, por exemplo, é uma rede profissional, então, utilize-a apenas para esse fim. Já as fotos do fim de semana podem ser compartilhadas no Instagram, Facebook...