Itens com a tag sucesso .

Autossabotagem

 

Sem perceber, muitos profissionais, por medo dos riscos ou das responsabilidades, acabam perdendo oportunidades. Traduzidos como autossabotagem, esses comportamentos são características de pessoas que não conseguem acreditar que terão sucesso, pois se julgam não ser merecedoras ou subestimam a própria capacidade de lidar com a vitória. Essas pequenas atitudes vão minando o crescimento do profissional que, quando percebe, já está estagnado e desmotivado.

 

Boa parte dos profissionais mantém atitudes arraigadas que se apresentam das formas mais simples. Por exemplo, surge um convite para participar de uma reunião com a diretoria para apresentar uma ideia, mas, sem perceber, o colaborador acaba apresentando algum mal-estar e, por isso, deixa de participar. Com esse comportamento, ele acabou se sabotando, talvez, por medo de fracassar, ou mesmo pelo temor perante as responsabilidades futuras.

 

Naturalmente, as pessoas buscam a felicidade, mas muitas precisam de coragem para viver, o que significa correr riscos e assumir responsabilidades. Muitas vezes, os profissionais estão se autossabotando, justamente pelo fato de não reconhecerem suas potencialidades e, assim, perdem oportunidades.

 

Existem alguns caminhos para mudar e o primeiro passo é reconhecer esses pontos de mudança. Para isso, um processo de coaching pode ser incentivador. Há também dicas para autoavaliar-se e ir em busca do sucesso. Confira:

 

  • 1º passo – Identifique quais são os seus tipos de autossabotagem. Em geral, se apresentam em quatro atitudes: procrastinação, crenças limitantes, medo do fracasso e medo do sucesso.

 

  • 2º passo – Viva o presente e se esqueça do passado. Use os fatos anteriores como uma espécie de feedback, mas não se prenda a eles. Crie uma nova identidade baseada no seu momento atual.

 

  • 3º passo – Veja a situação de outra maneira. Mude a forma de ver os problemas; aposte em cursos, livros, palestras.

 

  • 4º passo – Trace uma estratégia e defina o objetivo para que possa construí-la. Em seguida, trace o plano de ação. É preciso ter um propósito que o inspire e faça entrar em ação.

 

  • 5º passo – Avalie os resultados. A partir desses passos, avalie as decisões que geraram boas ações e as que não foram tão boas. E, principalmente, não desanime e mantenha o esforço. 

Academia de Líderes Santillana Brasil

 

Comprometida com o desenvolvimento e a capacitação dos líderes, a Santillana Brasil investiu na Academia de Líderes, como importante instrumento para exercitar, treinar e preparar para a excelência seu time de trabalho. Desenvolvido em parceria com a consultoria Franquality e a equipe de Recursos Humanos do grupo, o programa envolve 98 profissionais que serão preparados para uma alta performance na liderança de suas equipes. Além de referenciais teóricos, o programa de desenvolvimento contará com muitas atividades vivenciais com o objetivo de incentivar os participantes à prática dos conceitos e a fazer a diferença.

 

De acordo com Renata Pires Alecrim, coordenadora de Recursos Humanos da Santillana Brasil, e responsável pela implementação do programa na companhia, a Academia de Líderes é a aposta da empresa para capacitar os líderes para que desempenhem seu papel com mais segurança e domínio. “Acreditamos que nossos líderes possuem um potencial grandioso e sabemos do envolvimento deles com seu papel. Porém, também é responsabilidade da empresa, muní-los de ferramentas e conceitos sobre liderança, para que possam, a cada dia mais, desenvolver suas equipes de maneira efetiva, o que trará resultados incríveis para a empresa. O nosso diferencial está naquilo que nos define: as pessoas. Por isso nosso interesse genuíno de investir nelas”, afirma entusiasmada.

 

Estruturado para estimular os líderes a desenvolverem competências gerenciais, o passo inicial do programa foi a realização de um workshop com a presença de todos os diretores, para definição e alinhamento da cultura da empresa. Em seguida, foram estabelecidos os quatro valores e comportamentos principais para a organização. Já na segunda etapa, foram iniciados os módulos de treinamento, totalizando cinco, ao longo do ano de 2016, que envolverão todos os diretores e gerentes da organização, neste primeiro momento.